Acompanhe

28.11
2019

#transparência

No mês de outubro, com as vereadoras Bella Gonçalves e Cida Falabella, na Câmara Municipal:

>> lutamos, durante 14 dias de plenário, contra a aprovação em primeiro turno do projeto de lei que busca implantar o Escola Sem Partido na cidade. Seguimos em luta por uma escola plural e democrática. #EscolaEduca

>> apresentamos um projeto de lei que insere a garantia de manutenção do abastecimento hídrico e a execução de ações de emergência e contingência em caso de rompimento de barragens no planejamento na Política Municipal de Saneamento. #CPIdasBarragens;

>> realizamos o Café da Cida no bairro Serrano e discutimos com a comunidade sobre as atribuições de uma vereadora;

>> denunciamos os problemas com a rede elétrica na Ocupação Rosa Leão e protocolizamos um pedido de reunião com a Cemig em caráter de urgência;

>> estivemos em reunião com a Secretaria Municipal de Cultura a fim de garantir que não haverá remoção dos indígenas que comercializam seus produtos na Feira Hippie;

>> votamos para as eleições do Conselho Tutelar de Belo Horizonte, que bateu recorde de participação. Infelizmente, diversas moradoras e moradores das ocupações urbanas foram impedidos de exercer seu direito de voto por não terem o comprovante de resistência reconhecido pela Prefeitura;

>> celebramos a federalização do processo do Kilombo Souza (Teixeira Soares), território quilombola localizado no bairro Santa Tereza;

>> participamos do Dia Nacional de Luta pela Moradia, que saiu às ruas para denunciar o desmonte das políticas de habitação;

>> realizamos uma visita técnica à Vila São Bento, no Aglomerado Santa Lúcia, onde milhares de famílias sofrem com processos de remoção e reassentamento não concluídos pela Prefeitura desde 2012;

>> estivemos em imersão durante dois dias com todas as assessoras e assessores do nosso mandato coletivo nas três esferas. Muito amor, muita potência, muita força!

>> #OcupaçõesUrbanas estivemos em diálogo com o prefeito e órgãos municipais , para discutir a regularização e urbanização das ocupações da Izidora e Helena Greco e a entrada de serviços essenciais no território; para encaminhar a construção de casas geminadas para todas as 26 famílias remanescentes na Vila Arthur de Sá; e solucionar problemas na rede da Cemig na Ocupação Rosa Leão;

>> teve audiência pública para debater os direitos das pessoas que moram nas ocupações da Izidora e do Zilah Spósito com ginásio lotado e um encontro para discutir os despejos administrativos (despejos sem ordem judicial) realizados de forma ilegal e inconstitucional em imóveis públicos municipais.